(16) 3364-2555 (16) 99304-7665

Notícias

DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER

A Doença de Osgood-Schlatter é uma patologia decorrente da inflamação do tendão patelar
junto a tuberosidade anterior da tíbia, que é uma pequena elevação óssea na face anterior
proximal da perna logo abaixo do joelho. Acomete tipicamente crianças e adolescentes, tendo
maior incidência no sexo masculino e em pacientes que praticam atividades físicas. Embora a
doença geralmente se manifeste apenas em um dos joelhos, pode ser bilateral em 20% dos
casos.

QUAL A CAUSA DA DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER?
A etiologia exata desta doença é desconhecida, podendo haver fatores genéticos, hormonais,
traumáticos e inflamatórios associados. Porém acredita-se que uma das possíveis causas seria
que contrações extensoras do joelho e microlesões repetitivas levariam a
elevação/microavulsão do tubérculo tibial na inserção do tendão patelar.

QUAIS OS SINAIS E SINTOMAS DA DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER?
O principal sintoma é a dor junto a tuberosidade anterior da tíbia, principalmente após a
atividade física. A intensidade da dor é inicialmente leve e intermitente tendendo a intensificar
e tornar-se contínua com a progressão da doença. Pode associar-se a edema e vermelhidão no
local, e é comum haver períodos de melhora e piora dos sintomas.

COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO DA DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER?
O diagnóstico baseia-se na história clínica e achados do exame físico, podendo ser necessário a
realização de exames de imagem para confirmação. Quanto aos exames de imagem, pode-se
realizar radiografia que mostra a fragmentação da tuberosidade anterior da tíbia e alterações
em planos de partes moles. Além do raio-x, os exames de Ultrassonografia, Tomografia
Computadorizada e Ressonância Magnética também podem serem utilizados, sendo a
Ressonância Magnética o exame que detecta com mais detalhes essa alteração, pois
demonstra além da fragmentação da tuberosidade anterior da tíbia, o grau de inflamação dos
planos de partes moles e do tendão patelar, e a existência de edema ósseo.

QUAL O TRATAMENTO E PROGNÓSTICO DA DOENÇA DE OSGOOD-SCHLATTER?
Como a Doença de Osgood-Schlatter é uma patologia benigna e auto-limitada durando de 6 a
18 meses, a maioria dos pacientes necessita apenas de tratamento clínico e fisioterapia, sendo
raro a necessidade de procedimentos cirúrgicos.
O prognóstico da Doença de Osgood-Schlatter é excelente e costuma resolver completamente
quando a apófise do tubérculo tibial se ossifica na maturação do esqueleto na fase adulta.

Ressonância Magnética do joelho demonstrando a presença de fragmentação da tuberosidade anterior da tíbia.

Radiografia do joelho demonstrando a presença de fragmentação da tuberosidade anterior da tíbia.

Agende seu Exame:

Pré Agendamento On-line

Nossa central de atendimento entrará em contato para maiores informações.